Eu amo sapos.. não de sempre mas foi de repente! um dia acordei fui a rua e comprei o primeiro sapinho de pelucia.. entao dai ja tenho inumeros.. o da foto eh o mais novinho da coleção.. foi a Kika que me deu.. nossa eh lindo o meu zoiudooooo!! andei com ele uma semana pensurado na bolsa agora ta aki penduradoperto de mim.. :-)
Bom de acordo com a wikipedia: " O nome sapo é uma designação genérica de anfíbios da ordem Anura, e em especial da família Bufonidae. No entanto, não sendo uma designação científica, aplica-se também a outras famílias. Por exemplo, o sapo-parteiro pertence à família Discoglossidae, à qual pertencem também as rãs-pintadas.
Existem cerca de 4.800 espécies de sapos. A maioria deles vive próximo a uma fonte de água, muito embora existam sapos que vivam em ambientes úmidos que não são considerados ambientes aquáticos, como a serrapilheira de florestas tropicais úmidas. A necessidade de água é mais premente para os ovos e os girinos do sapo, e algumas espécies utilizam poças temporárias e água acumulada nos ramos de plantas, como as bromélias como sítio de criação.
O sapo se distingue da pelas membranas interdigitais pouco desenvolvidas e pela pele mais seca e rugosa. Geralmente, vive em ambiente mais seco.
Os anfíbios dependem da água para a postura de ovos, pois estes não têm casca, e para manter a pele úmida, necessário para a realização da respiração cutânea na qual a troca de gases é feita pela pele. A respiração cutânea é necessária pois a respiração pulmonar não é completamente eficiente.
Depois de alguns dias de postos, dos ovos saem girinos os quais respiram por brânquias, têm uma cauda e não têm pernas. Com o tempo o girino vai perdendo a cauda, desenvolvendo pernas posteriores e anteriores e trocando a respiração branquial pelas respirações pulmonar e cutânea até deixar a água ao término das transformações.
Os sapos capturam suas presa lançando para fora da boca a língua muscosa, longa e pegajosa, que é presa ao assoalho da boca pela extremidade anterior.
Reprodução
Quando chega sua época de reprodução, na primavera, os sapos coaxam para atrair suas fêmeas. Quando se encontram, o macho abraça a fêmea, posicionado sobre esta. Durante o abraço, macho e fêmea eliminam suas gametas no mesmo instante.
Formam-se então ovos, envolvidos por muco, para que assim se prendam com facilidade em pedras e em plantas aquáticas.
Após algum tempo, os girinos saem dos ovos, já sabendo nadar e o fazendo ativamente.

Sapo

Sapos copulando

[editar] Gêneros
Adenomus Cope, 1861
Altiphrynoides Dubois, 1987
Andinophryne Hoogmoed, 1985
Ansonia Stoliczka, 1870
Atelophryniscus McCranie, Wilson e Williams, 1989
Atelopus Duméril e Bibron, 1841
Bufo Laurenti, 1768
Bufoides Pillai e Yazdani, 1973
Capensibufo Grandison, 1980
Churamiti Channing e Stanley, 2002
Crepidophryne Cope, 1889
Dendrophryniscus Jiménez de la Espada, 1871
Didynamipus Andersson, 1903
Frostius Cannatella, 1986
Laurentophryne Tihen, 1960
Leptophryne Fitzinger, 1843
Melanophryniscus Gallardo, 1961
Mertensophryne Tihen, 1960
Metaphryniscus Señaris, Ayarzagüena e Gorzula, 1994
Nectophryne Buchholz e Peters In Peters, 1875
Nectophrynoides Noble, 1926
Nimbaphrynoides Dubois, 1987
Oreophrynella Boulenger, 1895
Osornophryne Ruiz-Carranza e Hernández-Camacho, 1976
Parapelophryne Fei, Ye e Jiang, 2003
Pedostibes Günther, 1876
Pelophryne Barbour, 1938
Pseudobufo Tschudi, 1838
Rhamphophryne Trueb, 1971
Schismaderma Smith, 1849
Spinophrynoides Dubois, 1987
Stephopaedes Channing, 1979
Truebella Graybeal e Cannatella, 1995
Werneria Poche, 1903
Wolterstorffina Mertens, 1939 "

1 comentários:

Aninha disse...

sapinhos de pelucia ate acho bonitinho agora de verdade tenho pavor rsrsrsrs
lindinho esse seu!!!

Postar um comentário